29 de outubro de 2008

Nossas Próprias Verdades x A Verdade!


Eu realmente tento não falar pra não ferir, mas não adianta. Sempre tô eu lá, abrindo a minha boca, lançando a minha opinião a quem quer e a quem NÃO quer ouvi-la!
Sem justificativas, mas colocando os pontos nos seus devidos lugares, eu aprendi que eu não posso afirmar que uma mangueira pode dar laranja, se sabemos que a MANGUEIRA dá é manga!
Já me disseram que eu tento impor a minha opinião a todos que comigo debatem (até de uma forma pacífica – o debate e a minha imposição!). Entretanto, eu gosto de ensinar as pessoas que ela pode pensar de várias maneiras; mas há uma regra, ou regimento ou qualquer coisa que a sociedade tende a chamar. (Tudo bem, eu sempre falo que regras são pra ser quebradas. Eu sei! Mas, se não aprendemos numa conversa informal o que é certo, não aprenderemos quando tivermos que - formos obrigados à - fazer o certo na formalidade).

O caso, então, que causou tanta incompreensão da minha parte e da parte de meu amigo foi o tal termo “premeditar”. Pra encurtar a história, meu amigo disse que algo inesperado pode ser premeditado em 5 minutos. Exemplo usado pelos dois:

“Supomos que um casal de namorados, vão a uma festa na igreja e na volta, deixam esquentar a relação a ponto de conceberem o coito”.

Há 5 minutos antes, é lógico, que eles pensaram, cederam a tentação e não se seguraram. Contudo, esse ato de pensar antes não foi algo premeditado. Por quê? Porque segundo o dicionário, premeditar é:

premeditar
pre.me.di.tar
(lat praemeditari) vtd Meditar, planejar, resolver antecipadamente, com reflexão: Premeditar um crime.

Ou seja, algo pré meditado é algo planejado, e não resolvido na hora. Cinco minutos antes não é tempo hábil para um plano. A relação sexual dos namorados seria premeditada se eles a estivessem planejando: “Onde será? Como será?”

Eu, de nenhuma forma, quis impor a MINHA verdade. Eu quis dizer que já existia uma verdade. PREMEDITAR é planejar antes. É resolver ANTECIPADAMENTE alguma coisa. Poderíamos usar outro termo para o ato sexual inesperado dos namorados: inconseqüência? Falta de maturidade? Maria-vai-com-as-outras? Não sei. Mas não, segundo a gramática normativa e o dicionário, o termo PREMEDITAR.

Podemos, sim, raciocinar como quiser. Mas como será quando quisermos fazer algo, que aos nossos olhos é bom, mas, na verdade, não é! Isso me fez lembrar meus pais. Eu sempre questionei todas as atitudes e sabedorias que eles têm. Dizia que tudo era relativo. Que eu fazia as minhas próprias verdades, e quando eu tive que fazer, falar, escrever o que todos dizem ser certo, o que já está firmado como verdade universal, eu simplesmente tive que aprender a força.
Aliás, estou aprendendo até hoje. E sofro por isso. Achava que era uma coisa tão pequena e hoje é o que me faz mais falta.

Desculpe-me o mal jeito de falar ou de expor minha opiniões. Eu sei que sou meio duro na queda. Mas quem não é??


Enfim,
Persiste em ler, exortar e ensinar!

Nenhum comentário: